A 2ª edição da Gincana do Saber, em Ipatinga-MG, traz temas como violência contra mulheres e proteção a crianças e adolescentes.

Livros "Maria da Penha" e "Estatuto da Criança e do Adolescente em Miúdos", produzidos pela Escola de Pouso Alegre, sob a coordenação da sua ex-dirigente, Madu Macedo, foram utilizadas na 2ª edição da Gincana do Saber

realizada pela Escola da Câmara de Ipatinga.

“Me sinto extremamente honrada em contribuir para o processo de educação cidadã de milhares de jovens no país. Ipatinga é o primeiro município brasileiro a trabalhar os temas da Lei Maria da Penha e ECA em Miúdos com seus estudantes. A gincana é uma forma paradidática de levar adolescentes e jovens a conhecer seus direitos, as leis que os protegem, a Carta Maior, que é a Constituição, dentro de uma dinâmica lúdica, com apoio dos professores, que ensinarão também o conteúdo em suas aulas regulares”, disse Madu Macedo.

A gincana envolve adolescentes de 14 escolas, sete estaduais e sete municipais. “As escolas participantes foram indicadas pela Secretaria Municipal de Educação e pela Superintendência de Ensino, sem as quais esse projeto não seria possível. Já estamos visitando as escolas e entregando os livros para que os temas sejam trabalhados pelos professores em sala de aula. Estamos sendo muito bem acolhidos pelos alunos e certamente a disputa será muito acirrada”, disse a diretora da Escola do Legislativo, Marli Teixeira.

A gincana será feita em duas etapas, sendo a primeira classificatória e a segunda decisória. Das 14 escolas, oito irão para a final, e os alunos mais bem colocados receberão premiação, bem como seus professores.

Para a presidente da Escola, vereadora Cecília Ferramenta (PT), a gincana é fruto de um trabalho que já vem sendo feito, como a Câmara Mirim. “Proporcionar conhecimento aos jovens e trazê-los para participarem da política é um ganho pessoal para os alunos e para toda a sociedade, que passará a contar com pessoas mais preparadas e cientes de seus direitos e deveres”, frisou a parlamentar.

Os livros utilizados são da autora Madu Macedo e possuem linguagem adaptada ao público juvenil. Os direitos autorais de suas obras foram cedidos ao Senado Federal, responsável pela ilustração e impressão dos livros, que são vendidos com baixo custo para as câmaras municipais brasileiras que desejam trabalhar o tem